Relatório do 13º Encontro

Local: UFES (Sala do Coral)

Data: 25/11/2012

Participantes: André Serrano, Andressa Takao, Gabriel Vieira, Vinicius Delarge, Vanessa Klein, Leonardo Rapmam, Leandro, Magali, Lorraine.

 

Presidente: André Serrano

Relator: Gabriel Vieira

 

 

Cronograma

 

1ª) Leitura do texto escolhido pelo presidente para abertura do encontro;

 

“O Domínio” – Miguel Marvilla – Leitor: André Serrano

 

2ª) Apresentação dos livros levados pelos participantes;

Por: André Serrano:

“Crônicas Urbanas”, de Antônio Rocha.

“Os mortos estão no living”, de Miguel Marvilla.

 

Por Lorraine:

“A Revolução dos Bichos”, de George Orwell.

 

Por Gabriel Vieira:

“História do Pavão Misterioso”, de José Camelo Melo.

“A Prostituta Respeitosa”, de Sartre.

“Contos Capixabas”, diversos autores.

“Como falar corretamente” de Reinaldo Polito.

 

Por Magali:

“Tudo que você não soube”, de Fernanda Young.

 

Por Leonardo:

“Longe de Ramiro”, de Chico Mattoso.

 

3ª) Leitura dos textos de autoria própria, ou não, pelos participantes do encontro;

 

Leonardo:

Conto: “[sem titulo]”, de autoria própria.

 

André Serrano:

Conto: “Nostalgia”, de autoria própria.

 

Andressa Takao:

Crônica do Livro: “Crônicas Urbanas”, de Antônio Rocha.

 

Lorraine:

Conto: “Ao triste homem”, autoria própria.

 

Vinicius Delarge:

Poemas: “Gelo Virtual”, “O laboratório Satã”, “Divagação”, “ Vão me jogar no arcano”, de autoria própria.

Gabriel Vieira:

Poema: Historia do Pavão Misterioso, de José Camelo Melo

Crônica: “Blue Moo”, de Andréia Curry Carneiro.

 

PÁGINA DO DIÁRIO BARDO

No dia 25 de Novembro de 2012, uniram-se André Serrano, Andressa Takao, Vinicius Delarge, Lorraine, Leonardo Rapmam, Magali, Leonardo e Gabriel Vieira para o 13º Encontro da Confraria dos Bardos, tendo especificamente para este encontro André Serrano como presidente e Gabriel Vieira como relator.

 

André Serrano abriu o encontro lendo o conto “O domínio”, do escritor Miguel Marvilla. Discutiu-se brevemente a parte final do conto com os presentes onde cada qual expôs um suposto fim do conto de Miguel Marvilla.  Observa-se que o conto possui desesperança (“Há nuvens, ninguém telefona, ninguém observa o luar incipiente, ninguém acredita que”). Realmente, é um conto magnifico. No decorrer, André Serrano retirou seu texto intitulado “Nostalgia”, que foi bem recebido por todos os presentes.

Em seguida podemos comtemplar a leitura do visitante Leonardo, estudante de Comunicação, pela UFES, do conto [“Sem Titulo”] de sua autoria. Isso mesmo, o seu conto realmente não possui um titulo, no entanto, no decorrer da sua leitura os participantes fazia-se um rebusco para em titulá-lo, por toda via o conto apresentou característica do próprio autor, confessado por tal, que por fim manteve o que era um conto “sem titulo”.

Lorraine apresentou-nos o seu miniconto intitulado “Ao triste Homem”. Estudante de Comunicação pela UFES adentrou-se ao grupo Confraria dos Bardos pelo Facebook para conhecer de perto essa comunidade dos Bardos e fez-nos sua primeira visita nesse 13º encontro, que por ventura trouxe sua colega Magali, estudante de Jornalismo, pela UFES que expôs o livro “Tudo que você não soube” da escritora e apresentadora de televisão Fernanda Young. Magali apresentou o livro citando basicamente o que ele apresenta; um romance que gira em torno das desventuras, de uma personagem homônima que resolve contar tudo ao pai em um livro escrito para ele, porque não se falam há anos.

Podemos contar nesse 13º encontro a presença de Vinicius Delarge, um Bardo zen que propagou os seus poemas “Gelo Virtual”, “O laboratório”, “Divagação”, “Vão me jogar no arcano”, em que nos surpreendeu com seu espirito altruísta. Seus pensamentos poderão ser encontrados no seu Blogger: http://ignaris.blogspot.com.br.

Por fim, Gabriel Vieira leu o conto da escritora Andréia Curry Carneiro, intitulado “Blue Moo” onde se abriu uma oportunidade de fazer uma pesquisa para o titulo do conto, pois não era nítida a presença do titulo no decorrer do conto. Já na “Historia do Pavão Misterioso” de José Camelo Melo, um poema narrativo que ao lê-lo deixou aberto a curiosidade para os presentes buscarem saber o fim da história…

Da Gaveta com “Ricardo Salvalaio”

Voltamos com a seção do blog destinada à publicação dos textos de nossos leitores.

No “Tire o texto da Gaveta!” desta semana temos o escritor Ricardo Salvalaio:

Ricardo Salvalaio é professor de Língua Portuguesa (formado pela UFES) e escritor. Publicou o livro “O óbvio complexo” (2006) e organizou a coletânea de poemas “Oito vezes poeta” (2008). Em 2010, tomou posse na Academia de Letras Humberto de Campos (Vila Velha). Atualmente, o autor escreve para o Blog Cultural “Outros 300” (www.outros300.blogspot.com) e é colaborador do Caderno Pensar, do Jornal A Gazeta.

.

Confira o Poema “Por que não ter por quê?”

.

Por que não ter por quê?

Estava eu na praça tomando sorvete
E lendo um jornal elitista
O coreto da praça gritava:
-Vagabundo sai dessa vida!

O capitalismo não me fascina
Faz com que eu não viva dormindo
Meus passos vão com o tempo
De modo que tenho que correr para alcançá-lo

Dívidas são como rugas.

Arrumei um emprego e vivo no sofá
Não tenho mais o desejo de mudar
Acredito em tudo que me dizem
E vivo pensando pouco.

Já vem tudo pronto!

Na TV, eles dizem que todos podemos vencer
No entanto, para alguém andar calçado
Um outro alguém terá de andar descalço
O movimento estudantil não dá um passo…
E eu que pensava que a universidade era o ápice das lutas…
Há lutas por notas, festas e bebidas…

Não dá pra ser hippie, punk, se não a sociedade te trata mal
Daí me vendi para ser um intelectual
Eu vivo sem porquê,
Porque a sociedade fútil não tem porquê.
Por que não tem porquê?
Muito difícil de saber.

Ricardo Salvalaio

 .

.

13º Encontro da Confraria dos Bardos.

Data: 25/12/2012

Local: UFES

Horário de Início: 14:00

O encontro é livre (para membros ou não); contanto que o interessado seja afim de literatura (stricto). Cada membro, iniciado ou visitante, leva um texto, de autoria ou não, para ser apresentado aos demais presentes. Após cada leitura, abre-se espaço para discussão do texto lido.

Na ocasião, apresentamos o grupo e suas propostas, e em seguida passamos a leitura dos respectivos textos. O Encontro tem acontecido provisoriamente no Campus da UFES. Todos estão convidados. Somente uma advertência àquele que ainda não foi a um destes encontros: não espere um grande volume de pessoas, não espere algo extraordinário, não espere homens de preto. Espere um núcleo literário.

.

Evento no Facebook:
http://www.facebook.com/events/173079456165764/?notif_t=plan_user_joined